Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

Dia 17 - De Arequipa/PER a Arica/CHI

Salve!

[02/05] Dia 17 - Arequipa/PER ~ Arica/CHI
Depois de discutirmos se seguiríamos até a Bolívia a partir de Arequipa, concluímos que deveríamos começar o caminho de volta por alguns motivos: grande distância até Copacabana; trânsito louco na chegada das cidades peruanas; pouco tempo para aproveitar o destino. Dessa forma, começamos a traçar a volta. O primeiro ponto de parada seria a cidade de Arica, no litoral chileno.



Até Arica, havia algumas opções de retorno. Resolvemos pegar a opção que beira o litoral peruano. Saímos de Arequipa em direção a Mollendo, a primeira cidade no Pacífico para quem sai de Arequipa. Pelas fotos que vimos, a cidade deve ficar lotadaça no verão. Entretanto agora, no meio do outono, estava bem tranquila.

De Mollendo até Punta de Bombón, cruzamos com poucos carros, porém não conseguimos desenvolver uma boa velocidade pois pegamos a estrada em obras. Pouco antes de Punta Bombón, em La Curva, perguntei a uns moradores como era a estrada até Iló, porque se estivesse em obras, a gente ia subir para pegar a 1S, que é a principal até Arica. Um camarada me disse que estrada era boa, asfaltada e sem obras. Diante disso, continuamos pela 15A até Iló, e de lá seguimos pelo 1E beirando o litoral.

Esse trecho até Iló, é um dos mais bonitos e bucólicos que já peguei. A paisagem e o clima sombrio, com nuvens carregadas, deram um ar especial a esse trecho, que mistura curvas, penhascos, com retas e montanhas de areia beirando o mar. Com certeza os passageiros aproveitam mais, por não terem que dividir a atenção. Para o motorista é complicado dirigir e contemplar.

De Iló em diante, a estrada é mais tranquila. Continuamos a tocada até chegar em La Yarada. Deveríamos continuar até Los Palos, mas por erro de cálculo, entramos em La Yarada e pegamos a 1S num ponto antes do planejado.

Depois de pegar 1S, em pouco tempo estávamos de volta a fronteira Perú/Chile. Como ainda tínhamos alguns sólis, tentamos trocar numa banquinha de lanches que tem bem perto do posto do SOAT. Ao tentar passar nosso 50 sólis, a tia, que já tinha nos dado os produtos que queríamos, voltou atrás e disse que nossa nota era falsa. Depois do entrevero, saímos sem as guloseimas e com a nota "falsa". Ficamos cismados e achamos que fomos vítima do golpe da nota falsa. Malandros brasileiros levando baile de malandros peruanos. É possível?

Na fronteira, dessa vez, havia bem menos pessoas para realizar o trâmite de travessia, o que tornou o processo mais rápido. Fizemos todo o ziriguidum e partimos pra Arica. Chegamos lá quase no começo da noite. Demos entrada na pousada e fomos pra rua procurar o que comer.

Abrax,

Cabeça

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)