Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

Dia 15 - De Iquique/CHI a Arequipa/PER

Comequié?!

[30/04] Dia 15 - Iquique/CHI ~ Arequipa/PER
E segue o baile. Hoje é dia de estrada. Vamos fazer nosso ziriguidum até Arequipa, no Perú. A viagem vai seguindo sem um rumo certo. Depois dos episódios dos perregues, não sabemos ao certo por onde andaremos. Ao chegar em Iquique decidimos que iríamos até Arequipa, uma cidade que fica ao pé de alguns vulcões no sul do Perú. Quanto a Iquique, é uma cidade que merece um retorno. Particularmente, como curto praia, a cidade se mostrou uma opção interessante pro turista que quer aproveitar o pacífico chileno.


De Iquique a Arequipa tem chão e, não bastasse a distância, também tem questão do trâmite alfandegário entre Chile e Perú. São aproximadamente 740Km, então a promessa é de dia longo hoje.

Saímos por volta de 8:30 de Iquique e às 12:30 chegamos na divisa. Esse lance de trâmite aduaneiro é um troço chato e tem países que conseguem torná-lo mais chato ainda. Fazer o que? Cada um sabe onde seu calo aperta.

Chegando lá, fomos nos informar sobre o processo. Resumindo, são cinco as etapas:
1) Controle de Imigração - Aqui apresentamos os passaportes. Também precisamos adquirir a relação de passageiros e preenchê-la com nossos dados (essa é VENDIDA no primeiro piso do prédio, em algo como uma lanchonete/casino);
2) Controle de Bagagem - Todos os passageiros devem pegar suas mochilas, que devem ser monitoradas pelo detector de metais. O motorista não precisa passar por essa etapa;
3) Controle Veicular - Aqui foi solicitado o documento do carro, a relação de passageiros e o meu passaporte. Aqui também tive que apresentar um documento que é uma permissão temporária para o carro circular no Chile. Vale informar, que o guichê para os brasileiros é o que tem a inscrição C.I.T. na janela;
4) Inspeção Veicular - O órgão de vigiância sanitária chileno vai inspecionar o carro e verificar quaisquer bagagens que tenha sobrado no veículo. Depois disso, peguei a turma e rumamos para a aduana peruana;
5) Controle Final Peruano - Apresentamos nossos documentos pessoais, junto com a TAM (Tarjeta Andina Migratoria) e relação de passageiros. Na sequência, rolou uma inspeção veicular simples e liberaram nossa entrada no país.

Assim que saímos da aduana, paramos no escritório do SOAT, o seguro contra acidentes de trânsito, que fica alguns metros a frente. Lá, contratamos o seguro temporário para trânsito no Perú. Pegamos o período mínimo, que é de uma semana. Ah, nessa mudança de país ganhamos nada menos que duas horas no fuso.

Logo depois da divisa, chegamos a cidade Tacna. De cara, a confusão do trânsito e o buzinaço sem motivo, já te dá uma prévia de como funcionam as coisas aqui no Perú. Fomos até uma casa de câmbio, trocar dólares por soles e na sequência paramos no mercado municipal para comermos algo pra continuar a tocada. Paramos em uma das dezenas de restaurantes que tem por ali e pegamos um bom menu do dia. Comida boa, em boa quantidade, com copo de suco gigantesco. Boa pedida.

Continuamos a jornada e a pouco menos de 30Km para Arequipa, pegamos um engarrafamento doido. Demoramos mais de uma hora pra chegar lá. Ao entrar na cidade, o GPS não sabia muito bem a orientação das ruas, o que nos fez pegar a contramão algumas vezes. Tenso. Depois de um tempo rodando pelas ruas de Arequipa, finalmente nos achamos. Chegamos ao hostel lá pelas 19:30 da noite no horário peruano. Colocamos as coisas lá e fomos procurar o que comer e beber.

Abrax,

Cabeça

------------------------------------------

Dados de Bordo:
Pelo visto, só em Curitiba.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)