Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

12/01 - 13º dia » de Morro de São Paulo/BA a Taipus de Fora/BA

É melhor ser alegre que ser triste, hein!?

Hoje vamo pegar o estradão pra praia de Taipus de Fora, na península de Maraú, numa pernada de aproximadamente 140 Km.

Como a distância era curta, a gente não se preocupou muito em sair cedo do hostel. Com o café da manhã aqui servido a partir das 8, então nem que a gente quisesse a gente sairia antes disso. Também não precisar desarmar barraca e esvaziar colchão. Tava mais tranquilo pra levar as tralhas.

 [amanhecer visto da barraca]

O Hostel/Camping
O Morro Hostel onde ficamos é um hostel/camping. Tem alguns quartos privados e alguns coletivos no hostel e várias barracas já montadas na área do camping. As barracas são para duas ou três pessoas (R$ 50/pessoa) e cada uma já tem seu colchão, travesseiros e roupa de cama. Por isso nossos trecos ficaram no carro. O camping fica no terraço do hostel, no terceiro andar da construção, com as barracas armadas sobre o concreto mesmo. Detalhe que são barracas de camping mesmo. Um dos hóspedes falou que vendo pelo HostelWorld lá indicava "cabana" o que gerou uma certa confusão e insatisfação por parte dele. A gente não passou por isso, pois no site deles tem foto das barracas. Apesar de não funcionar bem o site, dá pra ter uma ideia do que vamos encontrar. A vista lá da área do camping é excelente. Dá pra curtir o visual do morro do farol e da primeira praia deitado em uma das redes. Coisa finíssima. No andar do camping tem dois banheiros masculinos e dois femininos. Na real é um sanitário em um e um chuveiro no outro para cada sexo. Pra chegar no hostel é um certo empenho vindo do centrinho, dependendo do caminho escolhido, dentre os vários possíveis. O que eu indico que é mais suave, menos subida e ziguezague dos becos é entrando na rua da fonte grande, que inicia na esquina da pousada Bahia Bacana. Entrando no beco, caminhe até a entrada a pousada Safira do Morro. Ao lado da entrada pousada, tem a indicação do caminho para o Morro Hostel. Esse é o beco do elefante. Entrando ali são dois lances de subidão, com degraus gigantescos, até chegar a entrada do Hostel lá em cima. Para aliviar, aqui na ilha tem o serviço de taxi em que os caras levam a bagagem dos visitantes num carrinho de mão por um precinho negociável. No nosso caso, levamos no braço. O pessoal do hostel atende muito bem. O café da manhã também é variado e generoso (pão, presunto, queijo, bolo, suco, frutas, café, leite e por aí vai). O único porém foi a barulheira de alguns poucos hóspedes sempre no fim da madrugada, ao voltarem da farra. Fora isso, tudo bem. Recomendo o hostel e o camping.

[área do camping]

 [banheiros]

[área do hostel]

[cozinha coletiva]

[café da manhã]



[fachada]



[o camping fica no último andar, debaixo daquela telha azul]

 [no beco do elefante]

[no meio do caminho até o hostel]

[indicação do morro hostel]

[entrada do beco do elefante, em frente a safira do morro]

 
 [na rua da fonte grande]

 [vindo do centrinho pra segunda praia, a entrada é aqui em frente]

[na esquina da pousada bahia bacana]

 [de frente a rua da fonte grande, mas olhando pro outro lado]

Fomos pro terminal de embarque para o continente. Compramos os bilhetes (R$ 7 cada) e partimos pro atracadouro. Lembrando que o barco sempre passa pelo povoado da Gamboa, o que deixa a travessia um pouco longa.

Uma hora depois, chegamos no atracadouro. Pegamos o carro no estacionamento (R$ 30 pros três dias) e partimos em direção a Maraú, passando por Valença e Camamu, tal qual fizemos na chegada. Na entrada pra Maraú é que o bicho pega. Acaba o asfalto e começa o barrão. Havia um certo receio da nossa parte em relação ao acesso a Taipus de Fora e Barra Grande após o período de chuvas fortes por aqui há 20 dias e as pequenas pancadas diárias. Assim como da primeira vez que estive aqui, algumas pessoas diziam que só passava por essa estrada veículos 4x4. Se estivesse ruim o acesso, uma das maneiras de chegar a Barra Grande, seria deixar o carro em Camamu e atravessar de barco até Barra. A outra é a que a gente escolheu.

 [placas...]

[...placas...]

 [...]

 [... e mais placas]

Logo quando entramos no barro já vimos que vários carros pequenos, como palio, uno, gol vinham em nossa direção. Um indício de que dava pra ir até lá. Para Taipus, desde o início da estrada de chão dá cerca de 40 Km. A parte crítica do trajeto é no começo, nos 3 primeiros quilômetros e no fim, já na chegada a Taipus, nos 2 quilômetros finais. No início, grandes buracos e valas dificultam a passagem. Mas, estava tudo seco. No fim, grande valões, alguns cheios de água fazem com que o motorista mais apressado ou menos habilidoso fique atolado ou perca uma placa ou um para-choque. Não raro encontramos grudado em algumas árvores várias placas de carro deixados pelo caminho e que o dono nem percebeu. Foi justamente num movimento brusco ao transpor uma vala grande que a placa raspa no chão e acaba ficando pelo caminho.

[no acesso a estrada de chão, entrando na península de maraú]



 [nos primeiro quilômetros é ruim]
 
[já no meio do caminho a estrada é razoável]

 

[na entrada pra taipus, uma porrada de placa de pousada e camping]

[perto do acesso a barra grande e taipus volta a ficar ruim]


 [na divisão entre taipus e barra grande]

Depois de pouco mais de uma hora na estrada de chão, sem nenhum grande problema, só com um ou outro susto por causa das valas, chegamos até a entrada do Recanto da Sereia, que é uma pousada/camping. Erramos o caminho, pois ficou faltando placa indicando como chegar. Uma dica para quem vai de carro é se guiar pelas placas da pousada Dreamland, que fica ao lado do Recanto da Sereia.

[pegamos a entrada errada pro recanto. é mais pra frente]


 [a placa amarela é a do recanto da sereia. mas as da dreamland também ajudam]

[na rua de acesso, uma porrada dessas valas. umas cheias d'água, outras nem tanto]

 [em frente ao camping. deixamos o carro do lado de cá, apesar de dar pra atravessar o riozinho com ele. do lado tem uma pontezinha pra acesso à pé]

A fome, como sempre, de mãos dadas com a gente. Dentro do camping tem um restaurante. Pedimos pra agilizar nosso almoço enquanto a gente armava as barracas. Foi o tempo certo. Assim que terminamos, duas moquecas de camarão (R$ 49 cada. serve duas pessoas) estavam prontas pra gente. Matamos as moquecas e fomos pegar uma prainha.

O destaque de Taipus de Fora fica por conta da piscina natural daqui. Ela fica à direita do camping e caminhando pela areia dá uns 20 minutos até lá. Hoje pegamos a praia da frente do camping, que tem um mar bastante agitado. Amanhã é dia da piscina natural.

Curtimos a praia até anoitecer. Depois, fomos dar uma volta em Barra Grande, que é onde rola um barulhozinho à noite. Barra Grande fica a uns 6 km de Taipus e o trajeto até lá, tão trash quanto foi a chegada até aqui. Inclusive, passamos por um trecho que requer um pouco mais de atenção para não atolar. Na volta encontramos um caminhão atolado nesse ponto.

Chegamos em Barra Grande e fomos dar uma volta no Boulevard da Barra, que é o centrinho onde tem tudo. É um ponto bem charmoso da vila e que possui diversas opções de gastronomia e de compras pro turista. Na praça de alimentação da Tainha rola um som ao vivo que anima todos os bares em volta. Fomos no McDidi e pedimos hamburgueres (R$ 12 o "di Gourmet", mas não curti) com sucos (R$ 5 cada), rodamos mais um pouco e voltamos pras nossas barracas em Taipus.

[chegando em barra grande]

[à direita do dona senhora tem o acesso a praça da tainha]

[até antes do galeguinho vir aqui esse boteco se chamava somente "boteco"]

[barra grande]



[uma das entradas para o boulevard da barra]

Abrax!

----------------------------

Dados de Bordo
Km rodados: ~140Km
Rodovias: Depois publico

Hospedagem
Recanto da Sereia - Taipus de Fora/BA. Diária: R$ 40, por pessoa, no camping. Com café da manhã muito bom e variado.

Alimentação
Almoço: Moqueca de Camarão no restaurante do Recanto da Sereia. R$ 49 para duas pessoas.
Jantar: Hamburgueres no McDidi, em Barra Grande. de R$ 7 a R$ 12 cada.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)