Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

25/06 - 13º dia » por Cape Town

Uepa!

Hoje é dia de passear pelo centro de CapeTown. Fizemos nosso café da manhã no hostel e saímos pra desbravar o centro. Apesar de perto, fomos de carro, pois o estacionamento no centro é muito barato. Cinco minutos depois a gente tava no centrão.

 [adentrando no centro]

Começamos o passeio pela Long Street, que é uma das mais movimentadas. Não sei se as lojas aqui abrem mais tarde ou se o povo não costuma passear pela manhã, pois era mais ou menos 10h e não tinha movimento algum por aqui. Pouca gente perambulando. Tá certo que tava frio, mas nem tanto assim a ponto de afugentar o povo.



[centro de Cape Town]

No nosso rolé, entramos numa loja de música, a The African Music Store. Queria muito ouvir o que se ouve por aqui. Chegando lá, muita música. Instrumentos, camisetas de artistas, cds e dvds, claro, postais de bandas e tudo mais que se possa imaginar em termos de música africana em geral. Detalhe só que os instrumentos na parede são de enfeite. Não estão à venda. Uma pena. Como o vendedor da loja foi meio bruto ao falar que não eu não podia encostar nos instrumentos ali, não ficamos muito tempo. Perdi a tara.

[fachada da loja]

 [muita música...]

 [... mas o atendimento deixou a desejar]

Em frente a loja, do outro lado da rua, a Beer House. Um bar especializado em cervejas. Segundo ele, há 99 diferentes marcas pra degustação. Como era cedo, ainda não tava aberto. Fica pra próxima.

 [beer house]

Na nossa ciranda, acabamos passando por diversos monumentos históricos e pontos turísticos, com destaque para o Company's Garden, que é como um jardim botânico daqui.


[company's garden]





[centrão]





Pausa prum lanche, entramos no Eastern Food Bazaar pra ver qualequiera a do lugar. Aqui eles reunem no mesmo ambiente, culinária de diversos países asiáticos. Encaramos um indiano muito bom, no Madras Dosa House. Foi meio que um omelete de frango, com um molho de coco muito bom, chamado Chicken Masala Dosa. Comemo e continuemo a pernada.

[eastern food bazaar]

[chicken masala dosa]

[madras dosa house]

 [fachada. vai de uma quadra a outra]

Depois do rango, fomos em direção ao forte da cidade. Fizemos uma visita guiada e fomos informados que, na sequencia, ao meio dia haveria uma encenação da troca de guarda. Ficamos pra ver qualera. É uma cerimônia simples e rápida, com destaque pro disparo do canhãozinho da Estrela®. Você não dá nada pra ele, a julgar por seu tamanho, mas bem que faz uma zoadinha, o danado.

[no caminho pro forte]


[cerimônia de troca de guarda]


[vista da cidade a partir do forte]


[canhãozinho da estrela. peça pro papai e pra mamãe o seu]

Saímos do forte e fomos ao GreenMarket Square, uma feirinha de rua com vários artigos pra levar de lembrança. Compramos qualquer coisa e cruzamos o centro pra ir até Bo-Kaap, bairro histórico, com suas casinhas coloridas e alguns museus. Visitamos um deles, que conta a história do bairro. Vale a pena um passeio por aqui.

[green market square]


 [bo-kaap]

Depois de Bo-Kaap, fomos pra Long Street, procurar um restaurante Etíope, o Addis In Cape, que nosso parceiro Lucas indicou quando estivemos em JBay. Pedimos um prato que não lembro o nome agora, mas que vem peixe, camarão, frango, carne e legumes. O esquema do prato é que ele é para comer com a mão mesmo, sem o uso de talheres. Os ingredientes vêm sobre uma camada de Injera, que é uma espécie de panqueca aberta. O cliente deve montar umas trouxinhas com a Injera recheando com o ingrediente que quiser. É doido o negócio, mas eu curti.

 [fachada do addis in cape]

[cerimônia]

[prato pronto pra ser armado. a injera é essa massa branca]

 [trouxinha armada]

 [armando a trouxa]

Depois do rolé, correria até o estacionamento agora, pois já era quase fim de tarde e ele já estava pra fechar. Chegando lá, descobrimos que não tínhamos nada de grana. Nada, zero. Nada que uma corrida até o caixa eletrônico não resolva. Sacamos um troco, pagamos e simbora pro hostel.

À noite Copa do Mundo no hostel, confraternizando com nossos amigos de Angola.

 [meu brother, pascual]

Aquele Abrax!

---------------------

Dados de Bordo:

Km rodados: quase nada
Abastecimentos: 0

Hospedagem
Big Blue Backpackers Lodge [Cape Town] - 2450 rand (~R$ 540. Sete diárias, pro casal), estacionamento na rua, em frente ao hostel. Sem café da manhã. Banheiro compartilhado.

Alimentação
Lanche: Eastern Food Bazaar - 35 rand (~R$ 8), pros dois, com a bebida.

Almoço: Addis in Cape - 220 rand (~R$ 48), pros dois, com as bebidas.
Jantar no Hostel mesmo, por nossa conta.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)