Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

05/07 - 23º dia » por Joanesburgo - Apartheid Museum e Soweto

Chegando e cantando, em ritmo de festa!

Hoje vamo perambular por Joanesburgo. Neighbourgoods Market, Apartheid Museum e Soweto estão na pauta. Pra encerrar o dia, passeio na cervejaria World of Beer.

Como a diária no hostel não inclui café da manhã, acordamos, nos arrumamos e saímos pra comer na rua. Stu, nosso camarada de copo que conhecemos ontem à noite, tinha indicado um mercado de gastronomia que tem no centro de Joanesburgo, em Braamfontein, o Neighbourgoods Market. Braamfontein fica perto de Melville, então chegamos lá ligeirinho. O mercado fica no térreo e no primeiro andar de um prédio que pra mim parecia desativado, mas como era sábado não sei. No primeiro andar tem uma área aberta pra galera comer com mais tranquilidade, longe do tumulto da parte interna. Era umas 9 da manhã e já tinha muita gente circulando por ali. O mercado tem muitas barracas, cada um com um tipo de comida e não lembro de ter visto artigos ou comidas repetidas de uma barraca pra outra. Demos um giro, pegamos um cachorro quente alemão e fomos embora. Próxima parada, Museu do Apartheid.


[entrada do neighbourgoods market]


[térreo, parte interna]

[1º andar, parte externa]





O caminho pro museu do Apartheid é fácil e bem sinalizado. Talvez nem precisasse do GPS pra chegar lá. Compramos os tickets e de cara vem o primeiro impacto. Os tickets foram classificados aleatoriamente, recebendo o rótulo "branco" e "não-branco", e a gente deveria buscar a entrada do museu de acordo com o rótulo que consta no nosso bilhete. Eu recebi um e Angélica outro, ou seja, entradas diferentes. Cada uma das entradas tem uma série de fotografias com o tratamento dado a brancos ou negros na ocasião do Apartheid. Os dois caminhos convergem pouco deopis da entrada e essa separação na entrada é para dar uma ideia do dia-a-dia de uma sociedade fudamentada em políticas de segregação.
O museu é grande e é bastante rico em informação. Tem fotos, áudios, vídeos e objetos pessoais utilizados pelas pessoas durante o Apartheid. Havia também uma exposição sobre a história de Nelson Mandela, desde antes de seu nascimento, é verdade, até sua morte. Só passamos 3 horas aqui, mas dá pra passar o dia inteiro, sem dúvida.

[fachada do museu]


[bilhetes indicando qual entrada devemos pegar: branco ou não-branco]

[entradas separadas]

["reclassificação" racial ocorrida durante o apartheid]



 [parte externa. na parte interna fotos não são permitidas]

Do museu nos mandamos pra Soweto na intenção de almoçar por lá, também. Nessa hora o sinal do GPS não tava funcionando bem e cheguei a pensar em não ir lá, pois estava perto do fim da tarde e eu não tava muito a fim de me perder pelo soweto, não. Mas aí, depois de um tempo ele funcionou bem e fomos até lá. Procuramos a Vilakazi Street, que é onde moraram Nelson Mandela e Desmond Tutu, arcebispo e Nobel da Paz pela luta contra o Apartheid. A Vilakazi Street é bem turística. Flanelinha pra cuidar do carro, barracas de camêlo, bares e restaurantes. Aqui, a casa onde Mandela morou foi transformada em museu. A gente queria almoçar aqui, mas o cardápio e o preço dos restaurantes aqui não agradaram, então demos uma volta e puxamos o barco.

[rua mais badalada de soweto]


[bares e restaurantes desse nível aí]


[casa de mandela, transformada em museu]

[também tem camelódromo]

[na volta, passamos pelo soccer city]

A última tarefa do dia era ir no World of Beer, que além de cervejaria também boteco e vende artigos ligados ao universo da cevada. Chegamos lá em tempo de fazer a visita, mas como era muito longa e a gente tava morrendo de fome, pegamos só o ticket pra ir até o bar e a loja (o ticket dá direito a uma cerveja no bar). Compramos algumas coisas na loja e fomos pro bar tomar uma e comer hamburgueres.

[voltando pro centrão]

[world of beer]


 [joanesburgo tem um por do sol mais foda que o outro]

Fim de papo, voltamos pro hostel, fizemos nosso jantar e cama.

É nóis!

---------------------

Dados de Bordo:

Km rodados: Poucos, por JoBurg mesmo

Hospedagem
Melville International Backpackers [Joanesburgo] - 1050 rand (~R$ 230), pro casal, por 3 dias. Sem café da manhã.

Alimentação
Lanche de manhã: Sanduíche no Neighbourgoods Market. Não lembro o valor.
Lanche da tarde: Chopp e hamburguer no World of Beer. Não lembro o valor.

Passeios
Apartheid Museum - 70 rand (~R$ 15), por pessoa.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)