Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

23/06 - 11º dia » por Cape Town - Table Mountain

Fuja, loco!

Hoje é nosso primeiro dia de Cape Town de verdade, dia de fazermos um típico passeio turístico de Cape Town. Vamos conhecer a Table Mountain. Pra ir até o topo da montanha é necessário que o tempo esteja ajudando. Com tempo fechado ou possibilidade de chuva eles não liberam o acesso, então é bom consultar o site oficial do Table Mountain National Park com antecedência para ver qualé a situação do dia pretendido.

[pra quem vai subir de bondinho, ali é onde se compra o ticket]

 [caminho para a trilha pra quem vai à pé]

Do Green Point até a Table Mountain é ligeirinho. Também tem muita placa indicando o caminho até lá, inclusive, quando estamos chegando perto, há letreiros informativos indicando a condição de acesso ao topo no dia. Se está aberto pra visitação ou não -- só um adendo, mesmo que você queira se perder em algumas cidades nesse país é difícil, pois é tudo muito bem sinalizado. Sempre tem muita informação espalhada pelo caminho --. Tivemos sorte. Nesse dia o tempo tava bem aberto. Apesar disso, já estávamos preparado pelo frio intenso lá em cima, pois o que mais dizem é o clima encontrado durante a trilha é diferente do encontrado no topo.

 [10 minutos caminhando até a entrada da trilha]

Deixamos o carro fora do parque, na estrada de acesso, e fomos nos informar como a gente fazia pra ir ao topo. O turista pode subir e/ou descer a montanha de bondinho ou à pé. No nosso caso, optamos por subir à pé e descer de bondinho. Dessa forma a gente só compraria o ticket de descida quando chegássemos lá em cima. Pegamos informação sobre como iniciar a trilha, se havia sinalização e fomos. Quer dizer, antes abastecemos nossa garrafa d'água, pois fomos alertados que seria necessário. Enchemos nossa única fonte de sobrevida e simbora. Uns 10 minutos de caminhada pelo asfalto e chegamos na entrada da trilha. De cara uma placa dizia que pra chegar lá no topo a pernada seria de mais ou menos duas horas e meia. Mas, no contato com o Lucas, o brasileiro que tava trampando lá no hostel de Jeffrey's Bay, lembramos dele ter dito que fez em mais ou menos uma hora essa subida. Com essa estimativa em mente, iniciamos a subida.

 [agora sim, o começo da trilha]

No começo, nada muito puxado. Uma subidona inicial mas que não exigia tanto assim. Ollhando de baixo pra cima você não tem muita noção pra onde a trilha vai te levar. Como vai fazer pra chegar até lá em cima. Só sabe que vai.

 [subindo]

Trilha errada
Cerca de 40 minutos após o início da trilha, perto de onde passa um córrego encontramos uma bifurcação. Prum lado Platteklip Gorge. Do outro Lower Cable Station. Na minha lembrança, um cara que nos deu informação havia dito que quando chegássemos nesse ponto pegássemos o caminho para o Cable Station. Sem questionar muito o fato de haver o "lower" na placa, pegamos o caminho que acreditávamos ser o caminho de ouro e fomos. Pra nossa sorte esse trecho era plano.

[bifurcação. é pra pegar a da esquerda. fomos pra direita...]

 [enquanto tudo era uma grande brincadeira]

Uns 15 minutos depois, cruzamos um casal que falou que pro lado que a gente tava indo eles não sabiam que tinha como chegar ao topo. Depois de mais 10 minutos encontramos um outro casal que disse que a partir dali, de onde eles estavam, não tinha mais subida. Era só descida e ia dar na "lower cable station", ou seja, o ponto de partida do passeio do bondinho. Caralh#, entendi tudo errado que o cara tinha me dito lá na entrada. Pegamos o caminho errado da bifurcação e perdemos 25 minutos de caminhada. Quer dizer, 50, já que a gente teria que andar mais 25 até o ponto da bifurcação. Foda que ninguém lá embaixo falou que tinha um acesso ao início da trilha ali por perto do terminal do bondinho. Foda que na placa da bifurcação não tinha uma simples indicação "mountain top", como complemento ao Platteklip Gorge. Como não adianta chorar, agora tome pernada pra recuperar o tempo perdido.

[no caminho errado. ainda bem que não teve subida]

 [chegamos a passar por baixo do bondinho]

A medida que a gente vai se "aproximando" do topo a parada vai ficando mais puxada. Os degraus vão ficando mais distantes um do outro, a sombra da montanha faz com que o vento frio fique ainda mais frio, a água que nos resta na garrafa parece que não vai render até o fim. Já estamos há mais de duas horas caminhando aquela frestinha lá em cima, que deve ser nossa saída pro topo, parece inalcançável.

 [já dá pra ver a saída lá em cima. parece perto...]

[...só que é muito íngreme. é preciso parar pra descansar]

 [aqui ainda não tá frio]

O caminho agora é em zigue-zague. Paramos um casal de alemães que subia e, no arrego, pedimos alguma coisa pra mastigar. Foi nossa salvação. Nos deram frutas e barras de cereais. Esbarro com um cara que tava descendo e pergunto se falta muito. Ele me diz que vai mais uma hora de caminhada.

[debaixo dessa sombra o bicho pega de frio]

 [nesse ponto o cara diz que falta uma hora pra chegar ali!]

"Putaqueopariu", digo. Ele não entende, me deseja boa sorte e desce. Achei que não fosse ser isso tudo, mas uma hora depois, chegamos ao topo da Table Mountain. Uma vitória e a sensação do objetivo alcançado. E é muito bom, pois a vista que se tem da cidade e dos arredores é muito massa.


[pela cara dela deve ter sido fácil essa subida :s]

[muita gente sobe e desce à pezão]





Ficamos um tempo ali um tempo, contemplando, tomamos uma cervejinha e compramos o ticket pra descer de bondinho.





[visual foda]

[descendo no bondinho]

[olhaí o lugar que seria o "atalho" pra subida. antes do guichê do ticket]

[pega por trás dessa placa aí e vai]

Como a fome era gigantesca, descemos rumo a Camp's Bay e procuramos um lugar pra comer. Nosso brother Helinton tinha sugerido alguma opções por ali. Pegamos o Café Caprice e fomos rangar com vista pro mar.

[rango à beira mar]

[sucesso]

[camp's bay]



Camp's Bay é um lugar bem interessante pra passar o tempo, com boas opções para comer e beber. A praia é bem bonita e dá pra perder umas horinhas na areia vendo o movimento do mar.

[permitido cachorros na areia]




Fim de festa por Camp's Bay, pegamos o beco rumo ao nosso Hostel, no Green Point. Lá encontramos fizemos nosso rango, assistimos um jogo da copa com alguns hóspedes e fim de dia.

Abrax!

---------------------

Dados de Bordo:

Km rodados: poucos
Abastecimentos: 0

Hospedagem
Big Blue Backpackers Lodge [Cape Town] - 2450 rand (~R$ 540. Sete diárias, pro casal), estacionamento na rua, em frente ao hostel. Sem café da manhã. Banheiro compartilhado.

Alimentação
Almoço: Café Caprice, Camps Bay - 240 rand (~R$ 52), pros dois, com as bebidas.
Jantar no Hostel mesmo, por nossa conta.

Passeio
Descida na Table Mountain (subimos à pé) - 220 (~R$ 48), pros dois.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)