Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

19/06 - 7º dia » de Plettenberg Bay a Wilderness, via Garden Route

Cheguemo de volta!

O tempo virou essa noite. Choveu tudo o que podia e o que não podia. Pra dormir foi massa. Como a perna de hoje é curta, mais ou menos 80Km até Wilderness, e a hospedagem não inclui café da manhã, pudemos dormir de buena, sem aperreio pra acordar. Detalhe, apesar de não oferecerem café da manhã, as pousadas sempre oferecem um serviço básico, como café, leite e água e, vez ou outra, uma bolachinha como cortesia. Já é o desjejum... Batemos um papo com o casal, pegamos a bagagem e zarpamos.

[nosso quarto em plettenberg bay]

O céu foi limpando aos poucos. A condição da estrada de barro na saída da pousada não estava tão ruim. Matthew nos contou que em 2006 houve uma tragédia por aqui pela Garden Route, quando choveu muito por mais de três dias sem parar e tornou inacessível o acesso a vários bairros de Plettenberg Bay. Saímos e pegamos a estrada rumo a Knysna.

[auto-serviço no hostel]

 [caminho do hostel]

[olha a placa indicando o caminho correto]

[varanda do quarto]

[galera que manda no lugar]

 [beleza essa sala aí]

 [deckzinho massa]

Chegando em Knysna, demos uma volta na orla e curtimos muito o que vimos. Mais uma cidadezinha pacata que compõe a Garden Route. Procuramos o Waterfront da cidade e lá almoçamos com uma bela vista pra o Knysna River. Coisa fina. Após o almoço, um pulo em Thesens Island, uma ilhotinha em frente ao waterfront e que tem um centro de compras e alguns condomínios residenciais. Depois, fomos ao The Heads, onde tem um mirante bacana da cidade e dá pra ver onde o rio encontra o mar.

[chegando em knysna]


[no caminho da ilhota]



[knysna river]


Fim de passeio, segue o baile até Wilderness. Uma pena, pois Knysna parecia um lugar bem interessante para se ficar mais de um dia. Até porque, como toda Garden Route, há parques em volta que têm bons atrativos e que poderíamos explorar.

[chegando em wilderness]


[fachada do guest lodge]

 [wilderness]

Finzinho de tarde, chegamos em Wilderness e fomos procurar nosso Guest Lodge. Para a região e localização, o preço foi bom, apesar dex alto para o padrão ao qual nos acostumamos por aqui. Fomos recebidos pelos donos, muito simpáticos, que nos apresentaram toda a casa e o nosso quarto. De frente pro mar o negócio. Que beleza. Só saímos pra dar uma volta pela areia e depois fomos ao centrinho de Wildernes. Passeio rápido e já voltamos pro hostel porque aqui tá frio, e quanto mais a gente ficar no quarto, melhor ;)

Aquele abrax!

Cabeça

---------------------

Dados de Bordo:

Km rodados: 80
Abastecimentos: 0

Estrada
Rodovia N2 (Garden Route). Pista simples. Excelente asfalto.
Pedágios: 0

Hospedagem
Xanadu Guest Villa [Wilderness] - 750 rand (~R$ 160. Uma diária, pro casal), estacionamento no próprio hostel. Com café da manhã.

Alimentação
Almoço no restaurante do Dry Dock, Knysna - 260 rand (~R$ 55), pros dois, com as bebidas.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)