Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

13/06 - 1º dia » Chegada a Joanesburgo/AFS

África do Sul, cheguemo!

Depois de 8 horas de vôo entre Guarulhos/BRA e Joanesburgo/AFS, chegamos ao aeroporto internacional O.R. Tambo. Esse vôo foi de 8 horas, mas a jornada entre a saída de Curitiba e a chegada em Joanesburgo foi de mais de 24 horas. Chegamos só o bagaço.

[na ala do torcedor em guarulhos, onde passamos o dia esperando o vôo]

 [novo terminal de guarulhos, recém inaugurado]

No desembarque, feito o procedimento de imigração, fomos em uma das tantas casas de câmbio do aeroporto trocar nossa merreca em dólar por Rand, moeda local. A cotação é mais ou menos essa 1 Rand = R$ 0,21. Um dos motivos que nos levou a escolher esse país foi a possibilidade de passar um bom tempo aqui gastando até menos do que gastaríamos no Brasil com transporte, alimentação e hospedagem.
[serviço de bordo. no cardápio frango]

 ["tapete" na chegada ao aeroporto de Joanesburgo]

Pouco antes do vôo, conhecemos um brother, o Helinton, que mora em CapeTown. Ele nos deu algumas dicas de como se virar pela África do Sul. Uma dica valiosa foi a de comprar um chip para celular e utilizar o pacote de dados, assim não precisaríamos comprar um aparelho de GPS, como queríamos, e ainda ficaríamos conectados quase que o tempo todo.

Chip sul-africano
Após o desembarque, fomos providenciar ainda no aeroporto a compra do chip para o celular. Fomos até uma loja da Cell-C, empresa de telefonia. Compramos o chip (R20), um pacote de dados de 500Mb para 30 dias (R75) e mais um pacote de voz (R5), totalizando 100 Rand (aproximadamente R$ 21,00). Feito isso, habilitamos o chip para uso no celular e estávamos na rede sul-africana. Após isso fomos na locadora retirar o carango.

Na saída do aeroporto, atravessando uma rua, estamos no prédio das locadoras de carro. No térreo, procuramos o escritório da Hertz. Lá apresentei a minha carteira de motorista e o passaporte, deixei uma caução de aproximadamente R$350,00, assinei o contrato e fui orientado a subir no primeiro piso, onde fica a garagem das locadoras. Lá estava me esperando um Chevrolet Spark branco, que atende pela alcunha de White Shark.

Aluguel do carro
A reserva do carro foi feita ainda no Brasil, utilizando o site RentalCars.com. O site oferece interface em vários idiomas e possibilita alugar um carro em qualquer cidade do mundo, em parceria com as maiores empresas do ramo, como Avis, Hertz e Europcar, por exemplo. Nós reservamos, junto a Hertz, um veículo da categoria mais simples. E apesar de simples, o carro tinha atributos além do que a gente esperava. Quatro portas, air bag, direção hidráulica, ar condicionado, sonzinho com mp3/usb. Excelente. Sabe quanto saiu a diária? Inacreditáveis R$ 36,00! Isso mesmo. Trinta e seis reais! Com quilometragem livre, seguros, e a possibilidade de deixar em outra cidade. Ok, pra deixar em outra cidade, teremos de pagar a taxa de aproximadamente R$ 160,00. Ainda tá bom. Considerando que vamos num sentido só, rodar mais de 2000Km, tá de bom tamanho, sim.

 [na garagem das locadoras para a retirada do carro]

Ok, retirado o carro, agora vem o desafio de rodar na mão inglesa. Por conta da colonização britânica, o esquema do trânsito aqui segue o padrão inglês. Ou seja, manter a esquerda nas ruas. Fora isso, o carro vem com a posição do volante alterada em relação a nossa. Do lado direito, com a marcha à esquerda do motorista. Achei que seria mais difícil me orientar em relação a isso ai, mas consegui sair da garagem do aeroporto numa boa. Traçamos o caminho até o hostel no gps do celular e chegamos lá facilmente.

O Unique House fica em Boksburg, região metropolitana de Joanesburgo. Escolhemos ele por ser perto do aeroporto e pela praticidade na hora de pegar a estrada no dia seguinte. Assim como ele, todos os outros hostels foram reservados antecipadamente pelos sites Booking.com e Hostelworld.com. Para todos os casos foram verificadas as avaliações de usuários nesses sites e no TripAdvisor.

Chegamos ao Hostel por volta das 10 da matina. Batemos um papo com o proprietário, senhor Martin, que foi muito gentil nos apresentando a estrutura da pousada e nos contando suas histórias. Deixamos as coisas na pousada e fomos até o Lizards pub, almoçar e tomar uma pra comemorar a chegada.

[apresentando o White Shark, nosso parceiro de viagem]

[área externa do Unique House. Tempo bom por aqui]

Acreditem, depois disso, voltamos pro hostel por volta das 13h e caímos na cama, acordando somente no dia seguinte.

Aquele abrax!

Cabeça

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)