Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

07/01 - 12º dia » em Punta Arenas/CHI

Buen dia, señores.

Hoje é dia livre, como Vitorino costuma dizer. Ou seja, podemos dormir até um pouco mais e o roteiro é incerto. E assim o fizemos. Dormimos até não sei que horas e na sequencia eu saí pra ver um lugar pra colocar o carro na revisão. Como isso era mais ou menos na hora do almoço (leia-se sesta), tava tudo fechado e só voltava a abrir lá por 14:30. O lado bom era que fechava às 20h. Sendo assim, pra adiantar o processo durante o horário de almoço, voltei pro hostel pra pegar a gang, dar um rolé pela cidade ir fazer um passeio para a pinguinera de Seno Otway e na volta eu deixaria o carro na revisão.
 



O centro de Punta Arenas é grande e organizado. Aliás, a cidade é bem grande, com cerca de 131 mil habitantes, e recebe muitos turistas. Facilmente vemos galera de todos os cantos do mundo. Na volta pelo centro, uma parada no Lomito's pra pegar um rango e aí fomos em direção a pinguinera de Seno Otway.

[vagando pelo centro]


[lomito's]

Pinguinera
De Punta Arenas há duas pinguineras próximas: Isla Magdalena, em que é feito um passeio de barco até lá. É mais caro, mas dá pra ver centenas ou milhares de pinguins; A outra é a de Seno Otway, que é mais barata, dá pra ir de carro, mas observa-se menos pinguins. Optamos por Seno Otway. A pinguinera fica a cerca de 65Km de Punta Arenas, pegando a ruta 9 e entrando numa estrada de rípio após 31Km de chão. Não é difícil acertar pois é bem sinalizado o caminho até lá.



[primeiro posto de controle de acesso a Seno Otway]



A pinguinera fica em uma propriedade particular e para ter acesso é necessário desembolsar 7500 pesos chilenos/pessoa (uns R$ 30,00) em duas paradas (1500 na entrada do parque, a 10Km da pinguinera e 6000 já na pinguinera). Ao chegar o fim da estrada, o carro fica num estacionamento e o visitante percorre pouco mais de 1Km até chegar aos mirantes de se avistam os bichos. Pouco antes de chegar aos mirantes, já dá pra ver um ou outro pinguim de bobeira. O caminho é delimitado e sinalizado e o visitante não pode sair da trilha para ter contato direto com os animais. A quantidade pinguins aqui varia de acordo com a época do ano e da hora do dia. Agora, o melhor período para visualizá-los era à tarde. Ao chegar no mirante da praia, conseguimos conferir a reunião de uns 50 pinguins à beira-mar. Ficamos ali um tempo acompanhando o processo de interação entre eles e presenciando algumas tretas também.




[pinguinos]



Na volta do passeio, uma entrada na Zona Franca, que é um centro comercial e de negócios, pra ver como estavam os preços das coisas por lá. A Zona Franca fica bem na entrada da cidade e possui em seu interior galpões de várias empresas e até um shopping. Paramos na Sanchéz Y Sanchéz e compramos algumas coisas com preços acessíveis, mas não muito diferentes dos encontrados no Brasil. Mas, pra região patagônica, em que tudo por aqui é meio caro, tá bom. Na zona franca é onde fica também a concessionária onde eu faria a revisão do carro, mas na oficina (que fica fora da zona franca) me disseram que só teriam espaço na agenda pra fevereiro. Sem condições. Amanhã eu vejo em outro lugar.

[zona franca]


Esse foi o resumo do dia livre de hoje. Amanhã tem um pouco mais de Punta Arenas.

Abrax,

Cabeça

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)