Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

06/01 - 11º dia » de Ushuaia/ARG a Punta Arenas/CHI

Salve, simpatia!

Ushuaia, até logo, meu irmão. Hoje é dia de desarmar o coreto e pegar a BR, digo, a RA. Como conseguimos fazer tudo por aqui até ontem à noite, hoje foi só fazer check-out, abastecer e ir simbora.

[vista do quarto na pousada]

 [mais da pousada]


Nesses dias de Ushuaia pegamos um pouco de cada clima, menos neve. Mas pedir neve no verão, seria pedir demais. Se bem que, nos dias que antecederam nossa chegada, nossos colegas brasileiros disseram que havia nevado. Mas pra gente, nada. Paciência... Paciência é o escambau! A gente tinha direito de ver neve por aqui e durante nosso caminho, ao subir a serra, finalmente tivemos contato com a famosa neve eterna.

 [subindo a serra]

 [making of]


 [la nieve!]

 [perfeito pro drift]

Susto
Passado o caminho de serra, mais chão até a divisa com o Chile. Primeira parada, aduana chilena. Tudo certo, até que na saída tomamos um susto. Explico. Aqui, não se pode entrar com produtos de origem animal ou vegetal na sua forma natural, como frutas, verduras, legumes, etc. Um dos procedimentos na aduana é declarar que não estamos levando nada dessa natureza. Se declararmos que sim e formos pegos portando fruta, temos que deixar a fruta. Se declararmos que não e formos pegos, pagamos multa. Pois bem, todos preenchemos que não, como de praxe e com a certeza que não estávamos levando nada. Após deixarmos a aduana, na saída a agente sanitária deu uma vasculhada no carro e... tomates. Putaquelosparalhos, tomates! Quatro, pra ser mais preciso. Esquecemos dos caras... O Vitor e a Mel foram lá dentro com a agente pra ver o que estava preenchido nos nossos formulários. Como o santo da Mel é forte, na ficha dela a opção havia sido deixada em branco. Nem sim, nem não. Caradjo, que sorte. A Mel preencheu na hora, devidamente orientada pelo agente, deixamos o tomate lá e nos livramos de pagar uma multa de aproximadamente  US$ 400,00! Segunda parada, aduana argentina. Nada demais, jogo rápido e tome rípio.

[na divisa, na Terra do Fogo]

[o tal do rípio]

[a volta do asfalto, perto de Bahia Azul, na balsa pro continente]

[filinha, mas o ferry comporta uma galera]

[a boca do ferry]

Havia duas opções de caminho para Punta Arenas. Pegar um trecho maior de rípio para ir até Porvenir, de lá pegar uma balsa de aproximadamente duas horas e atravessar para Punta Arenas ou pegar o caminho que pegamos pra chegar no Ushuaia, com um trecho menor de rípio e atravessando de balsa por Bahia Azul. É um caminho mais longo, porém por ter menos rípio e a travessia da balsa durar 20 minutos, optamos pela segunda opção.


 [já no continente, tempo bom]

Após atravessar, foi mais estrada. Cerca de 200Km até chegar, lá por 22h em Punta Arenas. Havia uma certa tensão por causa do horário elevado e a possibilidade de repetir o que passamos na chegada ao Ushuaia. Nada... De cara, fomos no primeiro hostel que dona Carminha (nosso GPS) mandou e a dona nos recebeu bem, nos dando a melhor notícia: havia vaga. Beleza, colocamos as coisas no quarto e fomos jantar num restaurante bem bom, com atendentes bem simpáticos. É bom enfatizar, como estamos sendo bem tratados por essas bandas. E os chilenos são muito bem humorados. Cansados, depois de quase 10 horas de viagem, voltamos pro hostel e fomos dormir pra amanhã dar um rolé pela cidade.


[na entrada de punta arenas]
Cabeça

----------------------------------------------------

Dados de Bordo
Km rodados: 620
Abastecimentos: 1
Gastos com abastecimento: 326,00 pesos (~R$ 130,00) em Ushuaia

Estrada
Sempre pela Ruta 3, que é a principal que liga a capital a patagônia do lado do atlântico. Estrada em excelente estado, com fluxo baixo de veículos. Sem pedágios. No trecho chileno, pelas Ruta 255 e 257, a condição é muito boa com asfalto impecável e bem sinalizado

Hospedagem
Hostal Rio Ona. $460 pesos (R$ 310,00, pois foi pago em reais e a cotação estava melhor) - diária por quarto duplo

Alimentação
Janta em Punta Arenas: 32000 pesos chilenos (~R$ 140,00)  - Peixe e Carne no Restaurante Sabores.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)