Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

28/12 - 2º dia » de Imbituba/SC à Punta del Diablo/URU

A intenção era acordar cedo por conta do chão brabo que a gente ia comer hoje. De certa forma conseguimos. 5:30, todos de pé. Cafezão na mesa e pé na estrada lá por 6:30.
Saída tranquila de Imbituba, pegando um trecho afunilado em Laguna, mas nada que chegasse a comprometer o andamento da viagem. Sufoco passou quem estava indo no sentido Floripa, ficando alguns quilômetros parado em congestionamento.

 [estradão puxado hoje]
Demos uma boa esticada e só paramos pra almoçar na nossa velha conhecida São Lourenço do Sul, por volta de 14h. São Lourenço é aquela cidade que fica na beira da Lagoa dos Patos. Rapaz, com tempo bom e calorzão a pino, a galera faz a festa. Muita gente na cidade aproveitando a prainha. O clima era tão praieiro que não podia faltar o pancadão carioca tocando no sistema de som alheio.

E dá-lhe estrada. Como esse seria um dos dois dias mais longos da viagem, não deu tempo nem dum mergulho pra aliviar o calor brabo. No trecho de Rio Grande a Santa Vitória do Palmar é reta por cima de reta. O alto fluxo que havia até pouco antes de Pelotas agora não existe mais. É praticamente somente a gente na estrada, curtindo um visual massa.

Às 19:30 chegamos na divisa com o Uruguai, na fronteira seca do Chuí. Do lado de cá Chuí, do lado de lá Chuy. Atravessou a avenida, tá no Uruguai. Fizemos o câmbio pra adquirir moeda uruguaia, compramos algumas coisas e fomos procurar a aduana, pra fazer o trâmite de transição pro outro país. O câmbio aqui estava em torno de 9/1 (9 pesos uruguaios = 1 real).

Na aduana o processo é rápido. Preenchemos uma ficha com os dados pessoais, recebemos o carimbo no passaporte e já estamos autorizados a entrar no país vizinho. Como vamos entrar de carro, o agente aduaneiro dá uma checada nos documentos do motorista e do carro. Nessa hora nos foi solicitado o seguro Carta Verde.

Quarenta e poucos quilômetros depois chegamos em Punta del Diablo, lá pras 22h. Procuramos um pouco e já encontramos o camping que Angélica tinha reservado, o Camping de la Viuda. Chegamos, fizemos check-in, batemo um rango e fomos tomar aquela merecida, pois desde 6 da manhã na estrada o corpo padece de álcool. Depois ainda conseguimos força não sei de onde pra armar a barraca e encher os colchões. Agora sim, cama.

 [Fim de farra em Punta del Diablo]

Seguro Carta Verde

Antes de sair do Brasil, solicitamos junto a uma corretora de seguros o seguro Carta Verde. Esse é o seguro obrigatório para porte nos países vizinhos (Uruguai, Argentina e, mais recentemente, Chile), e cobre apenas danos provocados a terceiros. Se o seu carro se envolver em sinistro ele não está coberto. Consulte sua seguradora no Brasil para ver se ele está coberto nos países que você pretende visitar. Em alguns casos, o segurado pode pagar pela extensão de perímetro, caso o país visitado não esteja contemplado. O valor do Carta Verde é calculado com base nos dias que o viajante vai transitar fora do Brasil. Para o nosso caso, pagamos R$ 217,00, pra um seguro de 25 dias (contando a margem de segurança).

GPS

Obrigado por lembrar. Dizia eu que já tínhamos dois GPS e mesmo assim fizemos questão de um terceiro, olha só, que beleza... Pois bem, ontem demos um pulo lá na caixa prego, desviando da rota e atrasando a saída em 1 hora, mais ou menos, pra pegar ele: o nosso cão farejador, nosso sniper, o nosso mestre dos magos. Beleza, transação realizada, aparelho testado in loco junto ao vendedor, ok. Lá pelas tantas quando fomos utilizar os serviços do guardião da sabedoria no carro, nada. Não, pode ser um cabo mal encaixado. Nada. É uma ferrugenzinha no conector. Substitui o conector. Nada. Ah, ele tava sendo alimentado pelo USB. Alimentado, então, pela energia. Nada. Putaqueocaralho... Fizemos todo um ziriguidum e gastamos uma grana à toa, pra nada. Mas não tem problema. Nós vamos jogar na manha e a gente se vira. Não precisamos desses artefatos pra dizer qual rumo a gente deve tomar, não. Nóis é nóis e vamo simbora!

Aquele abrax!

-------------------------------

Dados de Bordo

Km rodados: 942
Abastecimento: 1
Gasto com abastecimento: R$ 50,00 (Chuí, só completar pra cruzar o Uruguai, pois lá é mais caro).


Hospedagem
Camping de la Viuda - R$ 22,00 (pessoa).

Rodovia
BR-101 - Rodovia em pista dupla. Condição muito boa. Algumas obras em pequenos trechos, mas que não atrapalharam o fluxo. Ponto crítico é em Laguna, onde estão duplicando um trecho e levantando uma ponte num outro.
BR-116 - Pista simples, em fase de duplicação. Condição muito boa e bem sinalizada.
BR-471 - Pista simples. Condição boa. Bem sinalizada. Está em fase de duplicação. Quando estiver pronta, vai se juntar a BR-116, ligando Rio Grande a Porto Alegre em via duplicada.

Alimentação
Milanesa - R$ 7,50 (pessoa);
Cerveja Patricia 1L - R$ 10,00

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)