Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

23/03 - 2º dia » de São Lourenço do Sul/RS à Treinta y Tres/URU

Acordamos marromenos cedo e às 09:30 saímos da pousada dos Bergmann. Demos uma passada breve na "praia" pra conferir comequié durante o dia e pegamos a estrada, novamente a BR-116, sentido sul. São Lourenço parece ser uma boa cidade pra passar um fim de semana, tranquila e acolhedora. Diga-se de passagem, nesse fds a cidade estava recebendo um encontro de motociclistas e isso deveria mexer um pouco com sua rotina pacata.

 [vista da praia lagunar de São Lourenço]

Cerca de 50 km após São Lourenço passamos pela entrada de Pelotas. Até lá, há tráfego constante na rodovia, muitos carros e caminhões. Seguimos as indicações para ir sentido Jaguarão, ainda pela 116, cidade que marca a divisa entre Brasil e Uruguai por aquelas bandas. Esse trecho da 116 entre Pelotas e Jaguarão é muito tranquilo, com tráfego zero, praticamente. Aqui você começa ter contato com retas que parecem não ter mais fim. Na saída de Pelotas pra Jaguarão há uma placa indicando que o próximo posto pra abastecimento fica cerca de 120 km, por isso, estando com o tanque a 1/3 do total ou perto disso, não titubeie, abasteça.


Por volta de meio-dia, e dois pedágios depois, chegamos a Jaguarão, cidade fronteiriça. Paramos pra abastecer (a R$ 2,99/l) e sanar algumas dúvidas no banco pra não ter bronca na utlização dos cartões nos países vizinhos. Após isso, enfim, cruzamos a fronteira e pisamos em Rio Branco. Assim que saímos da ponte que divide os dois países, demos de cara com a região dos free shops. Uma breve circulada pra ver os preços das coisas e comprar besteira (como pringles a US$ 1,99) pra testar a internacionalidade dos cartões, fomos então para a aduana fazer os trâmites de entrada no Uruguai. Atendimento rápido, sem filas, só nos requisitaram identidade (ou passaporte) e o documento do chumbeta. Passaporte carimbado, segue o baile.

[ponte sobre o rio Jaguarão, que divide os países Brasil e Uruguai]

[vista da rua com os free shop em Rio Branco, já no Uruguai]

Para ir Montevideo pegamos primeiro a Ruta 18 que nos leva ao departamento de Treinta y Tres (cuja capital tem o mesmo nome) e assim como o trecho Pelotas - Jaguarão, havia movimento zero. Durante todo o tempo em que o carro estiver rodando os farois devem estar acesos, sempre em luz baixa. Essa determinação é encontrada nas placas pelas rodovias. Só depois eu fui perceber que não é só ali que os carros obedecem isso. Pelas ruas das cidades, também. Às 15:45 chegamos a Treinta y Tres. Tivemos de entrar na cidade pois sabíamos que ia ter pedágio entre esta cidade e Montevideo e faltava grana local pra efetuar os pagamentos. Demos uma volta na cidade e eu começo a me entender, ou não, com trânsito local. Por exemplo, semáforos baixos colocados nas esquinas das ruas. Até eu entender que eu tinha que olhar na esquina do lado oposto ao meu (sim, do lado da mão oposta), pra saber que era por ali que eu tinha que me orientar e respeitar, já devo ter levado umas quinze multas. Uma coisa que é bacana, mas você demora a atentar pra isso, é que todo cruzamento o pedestre tem razão. Em princípio só os cruzamentos em que não há semáforo. Botou o pé na rua a moral é deles e nem olham pro motorista pra ver se ele vai parar. É com a cara e a moral mermo.

[só retão até Treinta y Tres]

[chivitinho massa]

 [semaforozinho safado. veja só, o meu é pra ser aquele da outra esquina, à esquerda]

Como o sono tava grande após pouco mais de 300 km de estrada, resolvemos comer um chivito (sanduíche de carne bem bonzinho) e procurar um lugar e ficar por ali mesmo aquela noite. A cidade é simples e parecia ser tranquila. Encontramos o Hotel Olimar, com preço bom pra gente, a $ 850 (cerca de R$ 85,00) pro casal. Lá foi colocar as coisas no quarto, banho e cama até o dia seguinte.

-------------------------------------------------------------------------------

Dados de Bordo

Km rodados: 348
Horas de estrada: 5h30m
Número de pedágios: 2
Gasto com pedágios: Via Fácil (a ser publicado em extrato posteriormente)
Abastecimentos: 1 (após 480km)
Gasto com abastecimento: R$ 120,00

Total km rodados: 1291

Hospedagem
Diária Hotel Olimar (casal): $ 850,00 (R$ 85,00) - Av. Juan Antonio Lavalleja 1414, Treinta y Tres. Em frente a Plaza 19 de Abril.

Rodovias
BR 116/RS - Simples - Asfalto razoável. Sem tráfego
Ruta 18/URU - Simples - Asfalto bom. Tráfego zero. Farol baixo obrigatório em todo o percurso. Aliás, todo o Uruguai.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)