Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

22/03 - 1º dia » de Curitiba/PR à São Lourenço do Sul/RS

Primeiro dia, saímos cedo. Pegamos a estrada por volta de 6:20 da manhã com objetivo de chegar em Porto Alegre ou esticar mais um pouco, dependo do horário de chegada na capital gaúcha. Pra essa viagem só estabelecemos as cidades que queremos parar, mas não fizemos reserva de nada. Tudo pra flexibilizar nosso roteiro.

 [prontos pra saída. eu, a mulé e o chumbeta]


Saindo de Curitiba tenho duas opções pra ir pra lá. Ou pego a BR-116 pelo meio dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, ou pego a BR-101, que vai beirando o litoral desses três estados. Eu tava decidido a ir pela 116, pra conhecer, saber como é seu ritmo, só que desisti por pensar que vai por ela quem não tem opção. Mas no meu caso não era jogada, pois apesar de a viagem aumentar em cerca de 60 km indo pela 101, poderia ganhar em tempo já que quase todo o seu trajeto até Porto Alegre é feito por rodovia duplicada, diferentemente da 116. Fui pela 101 mesmo.

[um pouco da estrada]

Pra ir até Porto Alegre de Curitiba não tem errada. É pegar a BR-376 sentido litoral catarinense (no trecho paranaense esse é o nome da BR-101), depois ir embora passando por Joinville, Itajaí, Floripa, Garopaba, Tubarão, Santa Rosa do Sul, Torres, até Osório. Saindo de Curitiba, no primeiro pedágio fui abordado por uma promotora do Via Fácil. Como já conhecia, resolvi aderir (mais informações no final do post). Na parte que compõe o litoral sul catarinense a rodovia passa por obras alternando o trecho de pista dupla com pista simples. Geralmente são trechos curtos, entre 3 e 6km. Muita coisa já foi feita desde a última vez que passei por ali em Julho do ano passado, mas as obras continuam.
Chegando em Osório já no Rio Grande do Sul, a 101 encontra a BR-290, popular "Freeway". Um tapetaço. Coisa de cinema. Três faixas bem largas tanto pra quem vai quanto pra quem vem. Aí são cerca de 112 km até a entrada da capital do estado. Como ao passar pela entrada da capital ainda estava relativamente cedo, 17h, com o sol no alto resolvemos continuar viagem pra ir dirigindo até o sol se por. Dentro disso, já tínhamos pensando em ir pra São Lourenço, que das opções que tínhamos pareceu ser a mais agradável. E tocamos pra lá, dessa vez usando a BR-116 como companheira e com isso acabou a farra de pista dupla. O ritmo da viagem diminui um pouco. Há tráfego de caminhões o tempo todo, indo e vindo e eu já sabia que até Pelotas iria ser assim, então fui relaxado. Três horas depois, às 20h, aportamos em São Lourenço.
Um motivo que me fez parar em São Lourenço é uma peculiaridade que havia visto numa matéria de tv um tempo desse: uma lagoa que parece praia. A cidade é banhada pela gigantesca Lagoa dos Patos. A impressão que se tem ao olhar sua imensidão é de que realmente você está em frente ao mar. Só que à noite não dá pra ver nada, claro. Tratamos de procurar um lugar pra ficar. Meio salgado o negócio. Pelo menos pra nossa humilde pretensão. Diárias de R$ 130,00 pro casal. Complicado. Principalmente em início de viagem, quando tem ainda tantos outros lugares pra conhecer e não sabemos quanto vai ser a sapatada. Perguntando aqui e ali, o baixinho, do bar do baixinho, nos informou que um senhor, Seu João, poderia ter quartos disponíveis nos fundos de sua "lancheria". Procuramos e achamos o homem. Realmente, o melhor preço da região. R$ 50,00 pro casal, sem banheiro privado e sem café da manhã. Mas uma hospitalidade e simplicidade que superam isso facilmente. Fechamos com o coroa depois fomos pegar o rango.

 [fachada da pousada e lancheria dos Bergmann. Foto do dia seguinte]

Outra boa surpresa. Depois de pesquisar aqui e ali, tudo muito salgado, resolvemos dar uma conferida no Tropicali's restaurante. As aparências enganam. O lugar é arrumado, coisa fina, e os preços são bem razoáveis. Comemos uma boa peixada de "Anjo", por R$ 25,00, nos servindo muito bem. Vale a pena uma conferida por lá, também.

[detalhe do Anjo à milanesa. Comida boa por preço agradável]

Pronto, fim de dia. Depois disso foi puxar o barco e ir simbora que amanhã tem estrada até a capital uruguaia.

Dica: Via Fácil

Antes de pegar estrada procurei saber quanto tava preu pegar o Via Fácil. Via Fácil é como se chama o dispositivo que é colocado no carro pra se comunicar com as cancelas exclusivas dos pedágios fazendo com que elas abram quando o carro que o possui se aproxima. Se não entendeu, acesse aqui. Pois bem, no site constava a informação que para aderir eu tinha duas opções: a "adesão zero", em que tinha permanecer com o dispositivo por pelo menos 6 meses, pagando R$ 15,76 de mensalidade, ou o "clássico", em que a adesão ia pra R$ 66,72, mas a mensalidade diminuía pra R$ 11,90. Nenhuma das duas me atraia. Tinha desistido da ideia. Enfim, a promotora do Via Fácil no pedágio informou que, aderindo naquele instante, eu receberia 80% de desconto na adesão, pagando cerca de R$ 13,00 apenas, mas se eu devolvesse o aparelho antes de 30 dias a adesão não seria cobrada, ou seja, pagaria apenas a mensalidade de R$ 11,90 (A cobrança pode se dar por débito em conta ou lançamento na fatura do cartão de crédito). Resolvi pegar. E segundo a promotora agora o Via Fácil cobre 100% dos pedágios do Brasil. No fim da viagem, quando os lançamentos chegarem pra mim eu copio aqui no site pra vocês verem com detalhes o custo de cada pedágio durante a viagem.

Abrax.

P.S.: Uma coisa que me deixou puto foi ver que alguns motoristas que rodavam pela 116, entre Porto Alegre e São Lourenço, não usavam faróis ao anoitecer. Tava bem escuro já e muitos deles nem sequer a lanterna ligavam. Perigoso pacarai essa parada aí.

-------------------------------------------------------------------------------

Dados de Bordo

Saímos com o tanque cheio: R$ 120,00

Km rodados: 954
Horas de estrada: 13h40m
Número de pedágios: 8
Gasto com pedágios: Via Fácil (a ser publicado em extrato posteriormente)
Abastecimentos: 1 (após 585km)
Gasto com abastecimento: R$ 101,00

Total km rodados: 954

Hospedagem
Pousada "Lancheria" Bergman (seu João, dona Hildegard) - Esquina das ruas Marechal Floriano e Almirante Abreu.
Diária pousada (casal): R$ 50,00

Rodovias
BR-376 - Duplicada / Pedagiada - Boa, com alguns trechos de asfalto retocado.
BR-101/SC - Duplicada / Pedagiada até floripa - Boa, com alguns trechos esburacados e passando por reparos de Floripa até a divisa com o Rio Grande do Sul.
BR 290 (Freeway) - Triplicada! - Coisa fina. Crítica? Talvez a falta de posto de gasolina e o que tem ser fora da Freeway sem uma placa informando sua localização corretamente. Há um SOS usuário mas já faltando poucos kilômetros pra Porto Alegre.
BR 116/RS - Simples - Asfalto razoável.

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)