Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

16/01 - 29º dia » de Salvador/BA à Morro de São Paulo/BA

Cumprindo o que acertamos, acordamos às 4 da matina na intenção de pegar o primeiro ferry pra fazer a travessia Salvador - Ilha de Itaparica. Pegando o ferry pouparíamos combustível e, talvez, tempo. O primeiro ferry estava programado para sair às 05:10. Chegamos ao terminal 04:50. De nada adiantou. Já tinha uma fila gigante esperando pra embarcar. Perdemos o primeiro e tivemos de esperar até 06:10 pra pegar o segundo. Sem problema, pois ainda era cedo.


[Espera para pegar o ferry boat, na travessia Salvador - Ilha de Itaparica]

Morro de São Paulo fica em uma Ilha e o carro deve ficar no continente. Indo de Salvador, o acesso mais próximo é por Valença ou pelo atracadouro de Bom Jardim, na Ponta do Curral, pouco antes de chegar a cidade de Valença. A travessia pelo atracadouro dura cerca de 45 minutos, contra 1:30h saindo de Valença.

Chegamos por volta de 10:15 e começamos a caminhada em busca de um lugar pra ficar. Segundo nos passaram, apesar de Morro ser badalado, poderíamos encontrar hospedagens a preços razoáveis, como os que já estávamos acostumados a pagar. E realmente, Morro possui inúmeras opções do hospedagem. Pra todo bolso. Tendo disposição pra caminhar consegue-se economizar bem e ficar em lugares interessantes. Foi o que aconteceu com a gente. Quando a gente já tinha cansado de procurar, estávamos atravessando a frente de um restaurante pra ver o que tinha depois, quando um garçom(!) nos abordou. Se apresentou como "Luiz Melodia" e disse que o restaurante também era uma pousada e que havia acabado de vagar um quarto. Perguntamos o valor e cara disse pra gente olhar o quarto. Insisti pra ele dizer o valor e ele pediu pra olhar o quarto. Ok, vamos olhar o quarto. Quarto simples, mas com ar, frigobar, varanda e, o principal, de frente pro mar. Ele passou o valor, discutimos um pouco e chegamos a um consenso. Dentro do que esperávamos pagar.


[Passando pela 2ª praia]


[Vista da nossa varanda, na 3ª praia, em Morro de São Paulo]

Algumas praias em Morro são numeradas. A primeira, mais próxima da Vila, é mais frequentada pelos moradores. A segunda é a do agito, do ziriguidum, do buruçu. A terceira, que é onde ficamos, é a que oferece a maior parte das opções de hospedagem. A quarta é mais tranquila, e semi-deserta. A quinta, ou do encanto, é a mais afastada, praticamente deserta, e, dizem, a mais bonita.


[Trecho da vila de Morro. Ao fundo, em cima do morro, o farol]

À noite, durante o giro pra sentir o clima da vila, procuramos nos informar sobre o passeio da volta pela Ilha, que é o passeio típico daqui. Existem várias "operadoras" que fazem o mesmo passeio, porém o valor é o mesmo: R$ 80,00. A embarcação sai da 3ª praia e para nas piscinas naturais de Garapuá e de Moreré, na praia da Cueira e na vila, em Boipeba, atravessa o Rio do Inferno, vai até Cairu, cidade histórica, por fim voltando ao ponto de partida. Quem passou as informações foi a Cátia, que trabalha numa agência, mas não como agente, e sim como "responsável pela informática". Uma figura, a peça... Acabamos fechando o passeio pra amanhã, 9 da matina. Por conta disso, nem pudemos curtir a "noite do balacobaco", na toca dos morcegos. Fica, quem sabe, pra amanhã.

Uou, beibe!

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)