Post em destaque

Fernando de Noronha gastando pouco

Imagem
Todos sabem que a finalidade deste site é relatar as viagens que nós fazemos de carro. Só que vou abrir o precedente agora. Sempre que viajarmos e tivermos informações úteis pra compartilhar vou colocar por aqui, independentemente do meio escolhido pra isso. Então confira agora o bônus track da nossa viagem ao Nordeste: Fernando de Noronha.

[sancho]

14/01 - 27º dia » de Maceió/AL à Salvador/BA

Chegou a hora de comer estrada novamente. Depois de 15 dias na terrinha, é hora de despedida e de pegar o caminho do sul.

Em princípio pensamos em acordar cedo, sair cedo, no raiar do dia. Depois tornamos a sanidade e nos demos o direito de dormir até um pouco mais tarde. Por volta de 9:30 estávamos saindo da casa da tia Goretti, porém ainda tinha mais algumas despedidas pelo caminho. Uma delas, da própria dona da casa. Passamos no trabalho dela, registramos o momento pra posteridade, pegamos com ela uma encomenda (trataremos disso adiante) e voltamos até sua casa pra libertar a Lila, que tava trancada por dentro, pois a chave tava com a gente. Na verdade foi um lapso providencial, preu ter a possibilidade de me desculpar por não ter ido no jantar da noite anterior.


[Nos despedindo de Tia Goretti]

Agora sim, 11:30, estrada. Depois de passar por derradeiro na casa do Tonho Uva pra deixar seu material esquecido e algumas lembranças da viagem, rumamos para Salvador. A ideia era não parar em Aracaju. Por conta do horário de saída de Maceió, resolvemos também não voltar pelo litoral sul alagoano, sem atravessar a balsa por Penedo. Pegamos a BR-101, próximo a São Miguel dos Campos. Muito boa a condição da estrada no trecho alagoano. Já na entrada de Sergipe, em Propriá, pegamos um trecho mais acidentado. No trevo de Estância, pegamos a via que leva a Linha Verde e a Estrada do Coco. Um tapete baiano.


 [Pit-stop na Linha Verde]
Adentramos a Capital baiana no início da noite. Pouco antes de chegar, em contato com um brother, consegui guarida pra gente. Como era caminho pra casa dele passar por Rio Vermelho, já fizemos o pit stop pra galera conhecer o tradicional Acarajé. Em Salvador o acarajé é servido em dois formatos, o tradicional (no papel) e no prato, com os ingredientes separados.


[Acarajé da Dinha, no Rio Vermelho]
Durante o lanche ficamos sabendo que naquela noite ia rolar um show com Elza Soares, de graça, no Pelourinho. Chegamos na casa do meu brother, Sivaldo, tomamos um banho e fomos pra festa.

Abriu o show uma banda chamada Sambatrônica, tocando meio que um eletrosambafunk massa. Depois chega a negona no palco botando a galera pra agitar.



[Curtindo Elza Soares no Pelô]
Fim de festa, pegamos o beco e cama. Amanhã é dia de Morro de São Paulo e Moreré!

Postagens mais visitadas deste blog

14/06 - 2º dia » de Joanesburgo a Durban (Africa do Sul)